sábado, 29 de junho de 2019

Gilson Germano bom de bola















O NOVO REFORÇO DO BANGU - Atleta que atuou com muita classe no futebol de praia, Gilson Germano, o Gilsinho, agora é do Bangu. Isso mesmo. O ex-atleta do Racing e do Paula Freitas, acabou de assinar contrato com o Bangu Atlético Clube, um dos mais tradicionais times de futebol do Rio, fundado em 1904. Ao vestir a camisa vermelho e branca do Bangu, Gilson Germano vai estar entrando para a galeria de atletas do Gigante do Oeste, que tem nomes como Zizinho (melhor jogador da Copa de 1950), Zózimo, Marinho e Domingos da Ghia. Que tal? 

1 - O que o futebol significa para você? 
O futebol é algo muito importante para mim. O sonho de todas as crianças é se tornar um jogador de futebol profissional. E graças a Deus estou vivendo um sonho que está sendo realizado. 

2 - Como você começou a jogar futebol? 
Tudo começou onde eu fui nascido e criado, no Campo do Martelão que fica em Jacarepaguá. Foi ali onde comecei a dar meus primeiros chutes na bola. Depois fui treinar nas escolinhas que tinha aqui próximo, CT Dinda, Semeando Cidadania onde treinei com os professores Jorge Luiz e Paulinho. E a escolinha da Joelma de futsal onde me ensinaram a me tornar um rapaz do bem e um atleta exemplar. 

3 - Como é a sua história no futebol de praia de Copacabana? 
Tudo começou através do meu irmão Bokinha, pois eu sempre atuei nos gramados. Depois que fui morar em Copacabana meu irmão Bokinha, chamou para jogar um futebol na praia, onde dei meus primeiros toque na bola na areia. Foi bem difícil pegar o controle de bola, conduzir e principalmente chutar para o gol, pelo fato da bola parar nos buracos. Mas no decorrer fui aprendendo aos poucos, e meu irmão sempre me orientando! Daí eu comecei a treinar no Geração, sob a orientação do professor Cobrinha e assim fui me adaptando aos poucos. Também joguei campeonato carioca pela Juventus onde fui campeão (2017). Também joguei na Paula Freitas e no Racing. Tive uma passagem rápida pelo futebol de areia, treinei no Flamengo beach soccer, através do meu amigo Bueno que abriu a porta para eu poder aprender mais um pouco da modalidade, onde fui treinado pelo Chumbinho, excelente profissional, e depois tive que retornar aos gramados. 

4 - Recentemente você esteve na Suécia jogando futebol. Como foi a experiência de jogar na Europa?
Fui para a Suécia jogar o campeonato sueco. No começo foi bem difícil me adaptar ao clima, ficar longe da família e dos amigos. Mas como sempre foi meu maior sonho jogar na Europa, fui bem forte e graças a Deus isso não me atrapalhou em nada. Meus familiares sempre presentes no dia a dia, me dando força e conselhos para dar seguimento na minha carreira. O fuso horário também foi difícil me acostumar, pelo fato de ser cinco horas a mais que no Brasil, mas depois fui me adaptando e me acostumei com o país. Foi bem difícil me adaptar ao futebol sueco, pelo fato de ser um jogo duro e muito forte. Foi uma experiência muito boa, um ambiente muito diferente, onde pude aprender outras línguas. Fiquei 3 meses na Suécia, joguei no Växjo United FC da divisão 3. 

5 - Como surgiu a oportunidade de assinar com o Bangu? 
A oportunidade de estar no Bangu veio através de um amigo chamado André Pivetti que me apresentou meu empresário Admilson e me levou ao Bangu onde fui muito bem recebido pela comissão técnica, funcionários do clube e atletas. E graças a Deus fui me desempenhando bem nos treinos. Então o professor Luciano, junto com sua comissão, optou por me juntar ao elenco para os desafios até o fim da temporada. Daí tive a oportunidade de assinar meu contrato! 

6 - Quem são seus ídolos no futebol profissional? 
Meus ídolos são Daniel Alves e Marquinho do (PSG). Meus ídolos pelo fato de eu me identificar com o jogo deles. 

7 - Quais os jogadores que você mais admira no futebol de praia? 
 O futebol de praia de Copacabana tem excelentes jogadores. Mas os que eu mais admiro são Bokinha e Diogo Catarino. 

8 - O que os torcedores do Bangu podem esperar do seu futebol? 
 Digo aos torcedores do Bangu que eles podem esperar garra, determinação e um belo futebol. Darei o meu melhor para que o Bangu possa alcançar seus melhores objetivos até o fim da temporada. 

9 - O que você diria para aqueles jovens que sonham jogar no futebol profissional? 
 Jamais desistir, pois, dificuldades sempre vão aparecer pelo caminho: cansaço, desgastes, problemas financeiros, dentre outros. Mas quem tem um sonho precisa lutar com unhas e dentes para que esse sonho se realize.

sábado, 25 de maio de 2019

As aventuras de Xixo no mundo do futebol









RETRATO DE UM CAMPEÃO – Vinicius Xixo é um personagem do futebol carioca. Desde cedo demonstrou seu talento com a bola jogando o futebol de praia nas areias de Copacabana. Sempre que estava com a bola no pé tinha certeza que o futebol era a sua vida. Por isso sempre tentou a sorte no futebol profissional, jogando nas divisões de base. Com seu jeito de ser, que mistura talento e carisma, conseguiu respeito e admiração no ambiente do futebol. Jogou na Espanha, Miami e Itália, sempre em busca das melhores oportunidades no meio do esporte que pratica. Nessa entrevista Xixo nos conta como está sua vida pessoal e fala de suas conquistas no futebol internacional. 


1 - Como foi a sua experiência profissional no futebol dos Estados Unidos? Lá é um bom mercado para jogadores de futebol? 
Minha experiência foi maravilhosa! Tive uma passagem por duas temporadas jogando pelo Boca Ratón FC onde tive a felicidade de me sagrar bi campeão. Sendo que esse título nós conseguimos a façanha de conquistar invicto! Fui bicampeão da APSL League! Nos Estados Unidos não existem divisões, lá as ligas são independentes tendo como máxima categoria a MLS Major League! Depois vem as ligas menores USL, NPSL, APSL. etc... O soccer norte americano vem crescendo muito e sim eu acho que é um ótimo mercado para ser explorado por quem está buscando uma oportunidade no mundo do futebol profissional! 



2 - Você jogou muito tempo na Espanha. Depois voltou ao Brasil, foi para os Estados Unidos e agora está de volta à Espanha. Como está sendo esse retorno? 
Na verdade essa é a minha quarta passagem pelo futebol espanhol! Atuei nas seguintes equipes: Antequera CF (terceira divisão); Gimnástica Segoviana (segunda divisão); e UD Barbastro quando estava na terceira divisão. Resolvi voltar a Espanha para ajudar a última equipe que joguei UD Barbastro a poder voltar a terceira divisão nacional porque desde que sai deixando a equipe na terceira divisão em 2014 a equipe mergulhou em uma forte crise econômica. Em consequência, pela primeira vez em sua história o time desceu para a primeira regional preferente, ou seja, a quarta divisão. Tenho grandes amigos aqui nesta cidade e nesse clube. E por isso resolvi apostar nesta volta para conseguir esse bonito objetivo que é recolocar a UD Barbastro no lugar de onde jamais deveria ter saído, que é a terceira divisão espanhola! 



3 - Como foi a trajetória de trazer o Barbastro de volta a terceira divisão? 
O meu retorno a UD Barbastro foi uma aposta minha e do presidente Eduardo Puente que é muito meu amigo. Juntos conseguirmos resgatar o clube de volta a terceira divisão! O clube esteve prestes a desaparecer porque as gestões anteriores deixaram um mar de dívidas que pareciam não ter fim! Então Eduardo, Arturo, Revilha, Juanjo, Carlos e Javi decidiram assumir o time e as dívidas! Foram quatro anos de muita luta onde a cada ano o clube conseguia diminuir essas dívidas através de muito esforço! Então este ano o clube com quase todas as dívidas zeradas resolveu montar um time para poder subir novamente de divisão e assim resolveram me trazer e graças a Deus deu tudo certo! Conseguimos todos juntos resgatar esse clube tão tradicional a terceira divisão e assim o sentimento de dever cumprido de todos! 



4 - Você jogou uma temporada na Itália. Fale um pouco de sua experiência no futebol italiano. 
Na verdade fui para Italia com minha esposa porque queríamos conseguir adquirir o passaporte italiano dela. Assim eu teria mais facilidade de jogar aqui na Europa. Num primeiro momento fomos basicamente de férias. Mas demorou mais do que imaginávamos e acabamos ficando um ano completo na Itália. Eu estava mantendo a forma com um time de segunda divisão. Um dirigente de um clube regional me viu jogando e me fez o convite para jogar em sua equipe. Acabei aceitando. Eles me ajudaram muito em todos os aspectos: moradia, alimentação, e basicamente tudo que precisei para poder viver com paz e tranqüilidade com minha esposa. Sou muito grato a meus amigos João Actis, Alfio Evelina, Bruno Sará e ao presidente Sergio por tudo que fizeram por mim e minha família. Tive a felicidade de ter tido minha filha Ana Clara na Itália. E essas pessoas foram fundamentais naquele momento. Consegui ser campeão com o time deles, que se chama “Gramsci di Terni”. Nesse clube tive uma passagem marcante, e que jamais esquecerei. E creio que eles também não. Ajudei o “Gramsci di Terni” marcando 16 gols na temporada. Foi incrível. A eles deixo meu muito obrigado e minha eterna gratidão. 



5 - É verdade que existe uma possibilidade de você ir jogar numa equipe da primeira divisão? 
Sim, está surgindo a possibilidade de um time grande de primeira divisão para a próxima temporada, mas estamos estudando tudo com muita calma e tranqüilidade para podermos fazer a escolha certa. Está tudo nas mãos de Deus! 



6 - E o Brasil? Tem planos de vir jogar futebol de campo em algum time do Brasil? 
Sim, seria um sonho muito grande poder vestir a camisa de um grande clube brasileiro. Acho que tudo vai depender muito da próxima temporada. Tenho que seguir trabalhando forte que as coisas grandes vão acontecer naturalmente. 



7 - Nesse período fora do Brasil também aconteceram mudanças na sua vida pessoal. Você casou, teve uma filha e se prepara para ser pai novamente. Qual a influência desses acontecimentos na tua vida profissional? 
Desde que conheci minha esposa Fernanda Lima venho vivendo experiências maravilhosas com ela e agora com minha filha Ana Clara, de dez meses e meio. A Fernanda chegou na minha vida para realizar meus sonhos mais lindos que era construir minha própria família e ser pai de uma menina. Hoje graças a ela e a Deus tenho uma família linda e sadia. Sou pai de uma princesinha que é a nossa Ana Clara e agora para completar a felicidade estamos esperando nosso filho Benício. Minha esposa está grávida de 6 meses. Minha filha é italiana. Vamos ver qual será a nacionalidade do Benício. 



8 - Muitos jovens brasileiros sonham ter uma experiência no futebol fora do Brasil. O que você recomenda? Estados Unidos ou Europa?  
Eu recomendo a todos os jovens que tem esse sonho de jogar futebol profissionalmente que se dediquem bastante e nunca desistam dos seus sonhos. As oportunidades podem aparecer a qualquer momento e o mais importante é estar preparados para elas! Não importa onde seja: Estados Unidos, Europa, Ásia, etc. O importante é saber aproveitar as oportunidades e ter muita fé em Deus. 



9 - Você também é um ídolo do futebol de praia e do beach soccer. Com você vê esses esportes no circuito entre Europa e Estados Unidos? 
O futebol de praia sempre esteve muito forte em meu sangue! Afinal sou cria de uma comunidade de Copacabana: Tabajara muito perto da praia. Minha base foi toda construída na areia. Cresci vendo craques do beach soccer e futebol de onze. Meus ídolos no futebol não vem do campo e sim das areias! No Beach Soccer admiro o Junior Negão, Jorginho, Benjamin, Juninho, Robertino, Paulo Sérgio, André, Bigode, Neném. No futebol de onze posso citar Bruninho, Magal, Batata, Rogerinho, Deroso, Marcelinho, meu tio Marlom e muitas outras feras. Tive o prazer de jogar em um dos maiores times de futebol de praia que é o Racing e ser campeão. E também de representar a seleção brasileira de Beach Soccer e também ser campeão! 



10 - O que o futebol significa para você? 
Para mim o futebol significa a realização do meu estilo de vida. É uma necessidade do meu espírito. Preciso do futebol para me sentir feliz e realizado como ser humano. É uma oportunidade de crescimento profissional. E uma forma de adquirir cultura e conhecimento. Resumindo: o futebol é a minha vida!









































sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Os melhores jogadores de futebol de praia do ano de 2018




OS MELHORES DE 2018 

Uma lista de "melhores do ano" nunca é perfeita. Sempre alguém ficará de fora. Mas aqui não se busca a perfeição. Apenas uma oportunidade de homenagear o futebol de praia. Na lista a seguir alguns dos atletas que mais se destacaram em 2018, tendo como base o Campeonato Carioca, mas também levando em consideração a atuação em outras competições. Parabéns a todos os atletas do futebol de praia por tudo que fazem pelo Rio de Janeiro. Com seus dribles e jogadas fazem a cidade mais alegre, mais feliz e mais carioca. 






O CRAQUE DO ANO!

O NOME DELE É NANDO VIEGAS - Qual atleta deveria representar o futebol de praia em 2018? Muitos nomes foram cogitados. Mas quando se pensou em Fernando Mendes Viegas, ou simplesmente Nando, ou então Viegas, como alguns gostam de chamá-lo, seu nome nos pareceu perfeito para representar nosso esporte no ano de 2018. Sua atuação no Campeonato Carioca foi próxima a perfeição. Atuou em jogadas brilhantes, jogou sempre para o time, foi hábil e guerreiro e, ao mesmo tempo, discreto e sagaz, como é o seu estilo. É jovem, mas já tem uma história no futebol de praia. Durante muito tempo foi jogador do Força e Saúde, o rival favorito da sua atual equipe, a Paula Freitas, campeã carioca de 2018.  Por seu talento, classe, estilo, garra e discrição Nando Viegas merece ser chamado de "o craque do ano".  





OS MELHORES DO ANO



SIDNEY SOUTO - Um exemplo de superação. Há pouco mais de um ano fez uma delicada cirurgia no quadril que parecia sinalizar sua aposentadoria como atleta. Mas, qual o quê! Com força de vontade, persistência, dedicação e fé conseguiu se reinventar como jogador de futebol. Depois de recuperado voltou a jogar com o mesmo talento e jogo de cintura de sempre.  Seu domínio de bola continua irrepreensível. Assim como seus dribles e chutes a gol. Um orgulho e um exemplo para seus companheiros.







MARCELO HENRIQUE - Dentro de campo todos o chamam de Balão.  A vitória da Paula Freitas no Campeonato Carioca de 2018 deve muito ao futebol sagaz de Balão. Ele vestiu com muita dedicação a camisa do time. Entendeu a dinâmica e a história de sua equipe e acrescentou essa compreensão inteligente ao futebol que apresentou no campeonato.  Sua presença foi um show à parte.









YAGO - Fez uma temporada consagradora no Balança. A cada campeonato seu futebol se torna mais irreverente e petulante.  Numa mesma jogada consegue exibir a mesma dosagem de pureza e ousadia, Carrega no seu futebol a alma da camisa que veste. Balança desde criancinha ele se realiza jogando pelo seu time de coração. Um jogador que, com seu talento irresistível, dá um sabor especial ao futebol de praia. 








WESLEY CORREIA - Ano passado Wesley foi campeão carioca vestindo a camisa do Balança. Em 2018 decidiu mudar de equipe, veio para a Paula Freitas e olha o que aconteceu: campeão novamente. Pé quente ou puro talento? Um pouco das duas coisas. Mas quem tem a oportunidade de vê-lo jogando não tem dúvidas que talento para o futebol ele tem de sobra. Joga um futebol rápido, rasteiro e inteligente, o que desconcerta e surpreende o adversário. Fez bonito no campeonato carioca.






JUAN GAJO - Uma das grandes figuras do campeonato carioca de 2018. Um atleta que tem um perfeito domínio do seu futebol sofisticado e eficiente. Nos dá a impressão de estar sempre consciente do potencial de cada toque de bola, de cada chute a gol. Tem carisma e atrai a torcida com suas jogadas de efeito. Sua atuação no campeonato carioca de 2018 merece aplausos. De pé.








TOINHO DAMÁSIO - Um dos destaque do ótimo time do Copaleme. Fez um gol de cabeça que foi um dos gols mais incríveis de 2018. Um jogador completo que joga para o time e, ao mesmo tempo, sabe aproveitar as oportunidades para as jogadas individuais. Seu futebol inteligente também é oportunista e criativo e isso deu substância ao Copaleme. 





RAFINHA AMORIM - Vestiu muito bem a camisa do América do Lido e fez o melhor que pôde pelo  time. Joga um futebol profissional, frio e objetivo. Sabe o que quer quando está em campo. Tem uma visão geral do que acontece durante a partida, sem ficar muito preso a sua função. Tem uma vasta experiência no beach soccer, com participações em campeonatos da Rússia, Itália e Portugal, entre outros lugares. É atleta da Marinha do Brasil e, talvez por isso, adote uma disciplina quase militar na sua forma de treinamento. Um dos grandes jogadores do futebol de praia. 





FELIPE CORDEIRO - Nascido e criado no Balança, ano passado jogou pelo Racing e em 2018 vestiu em grande estilo a camisa do Copaleme. Sob a batuta do seu descobridor, o técnico Leandro Riquelme, da época do Balança, Felipe deixou sua marca de jogador aguerrido no Campeonato Carioca de 2018. Conhece o caminho do gol e quase sempre surpreende os adversários nesse sentido. Suas arrancadas em direção a área do adversário quase sempre resultam em momentos de destaque da partida. Um jogador admirável.   






VINICIUS QUEIROZ - O atleta que melhor traduz a função de goleiro no futebol de praia.  Tem um profissionalismo nato, gosta da função que exerce e sabe jogar junto com a equipe. Tem visão de jogo abrangente que lhe permite orientar seus companheiros em direção as melhores jogadas. Sua atuação sempre dinâmica e aguerrida faz com que adote uma postura de liderança na equipe. Se mostrou muito à vontade com a camisa do América do Lido na temporada de 2018.








MICHAEL AZEVEDO - Um dos artilheiros do Campeonato Carioca de 2018, com cinco gols, Michael esteve brilhante nas partidas em que atuou com a camisa do Copacabana Praia Clube. Cria do Juventus, onde começou no time de aspirantes, joga um futebol tradicional, no estilo dos grandes craques do futebol brasileiro. Sua fonte de inspiração é o estilo clássico de jogar bola e desenvolve muito bem sua maneira de entender o futebol. Tem ótima pontaria e seus chutes a gol quase sempre resultam em pontos para o seu time. Um dos grandes nomes do nosso futebol de praia. 







FILIPE PIU -  Um gênio da arte de jogar bola. Com sua presença mágica Filipe Piu deu um toque de classe ao Campeonato Carioca de 2018, vestindo a camisa do Copacabana Praia Clube. Jogador estiloso, fez uma ótima campanha e seus dribles e jogadas resultaram em grandes momentos do espetáculo que é uma partida de futebol. Filipe Piu sabe fazer a torcida feliz através de seu futebol cheio de carisma e empolgação. Sua experiência como atleta do beach Soccer na Itália faz toda a diferença no seu estilo de jogar bola. Um nome que merece ficar marcado no panteão dos grandes atletas do futebol de praia de sua geração. 






MELHOR TREINADOR: ALEXANDRE FREDERICK

Não seria exagero afirmar que Alexandre Frederick foi uma das grandes surpresas do futebol de praia em 2018. Como técnico do Paula Freitas - campeão do ano - ele mostrou sabedoria  e serenidade ao conduzir o time para o lugar mais alto do pódio e ficar com a Taça Arnaldo Cézar Coelho. É dedicado, tem paixão pelo que faz e sabe ser discreto  na condução da equipe. Sabe lidar com o temperamento dos seus atletas e tem uma visão eficiente da função de cada um dentro da equipe. Sabe exatamente como formatar a equipe para cada jogo.  Tem frieza e segurança no momento de fazer as devidas substituições.  Por todas essas qualidades e por muitas outras que não puderam ser aqui relatadas, Alexandre Frederick é o melhor treinador de futebol de praia de 2018. 


Campeonato carioca 2018









sábado, 9 de dezembro de 2017

Os melhores jogadores de 2017



OS MELHORES DE 2017  

Um ano positivo para o futebol de praia. O Campeonato Carioca de 2017 foi um dos mais bem sucedidos já realizados. Com mais pontos positivos do que negativos no que diz respeito a produção, organização, disciplina e arbitragem. Do ponto de vista do espetáculo só houve pontos positivos. Atletas de vários estilos puderam mostrar seu talento em partidas memoráveis. Foram 120 jogos disputados por quinze equipes. Assim foi possível se traçar um painel do atual futebol carioca. Houve desde jogadores veteranos, que se transformaram em clássicos do futebol de praia, até jogadores jovens, na sua melhor forma, com talento suficiente para atuar no futebol profissional. A seguir uma lista com alguns dos atletas que se destacaram no futebol de praia em 2017.





O CRAQUE DO ANO 


O NOME DELE É LEANDRINHO - O Campeonato Carioca de Futebol de Praia 2017 para sempre terá o rosto e o sorriso do atleta Leandro Vasconcelos, o Leandrinho, do Balança. Com seu futebol ambicioso, inteligente e instigante Leandrinho administrou com muito tato a trajetória do Balança no Cariocão 2017. Seu toque de bola é fabuloso. Tem um privilegiado senso de oportunidade. Sabe conduzir a bola com precisão. E possui a incrível capacidade de induzir o adversário ao erro. Além de ter se mostrado um jogador brilhante, Leandrinho tem a perfeita noção de que o futebol é um grande espetáculo. E, sendo assim, ele joga com a sensibilidade de um artista da bola. Joga para a platéia como um ídolo pop que canta para seu público. Como todo grande artista sabe que o seu melhor número tem que ser apresentado no final do espetáculo. E Leandrinho assim o fez com a conquista da artilharia isolada. Até o segundo jogo das semifinais a artilharia do campeonato estava empatada entre os atletas Patrick Príncipe, Rafael Bokinha e Rodrigo Barbosa. Cada um com sete gols. Então Leandrinho conseguiu empatar na artilharia. E apenas no último jogo, na grande final do campeonato, ele fez o oitavo gol. O gol que lhe garantiu a artilharia isolada. E que gol! Um lindo gol de bicicleta. Um gol que comoveu e enlouqueceu a torcida. O gol que definiu quem seria o grande nome do Campeonato Carioca de 2017. O gol que definiu quem seria o craque do ano. O grande gol de Leandrinho.   



OS MELHORES DO ANO




IGOR CHINA – Zagueiro, atacante e meio-campista, Igor Kuntze, também conhecido como Igor China, atua em todas as frentes e sabe impor o seu estilo de jogo. Soube se destacar no campeonato com seu talento e vontade de vencer. Tem raciocínio rápido e um toque de bola ágil. Tem um estilo de jogo impetuoso e voraz, sem ser agressivo. Um atleta que tem vocação para o esporte que pratica e por isso sempre se destaca em todas as partidas que joga. 






PATRICK PRÍNCIPE – Foi o grande artilheiro da fase classificatória do Carioca 2017, onde sempre se manteve no topo. Deu ritmo, estilo e segurança ao seu time, o Força e Saúde. Tem um futebol elegante e dinâmico.  Sabe o momento certo de jogar para o grupo e o momento certo de se arriscar nos lances individuais. Além disso é um mestre na arte do fairplay. Evita fazer faltas e nunca critica outros jogadores. Nunca discute com os árbitros e por isso é querido e respeitado por eles. 





JADSON CRUZ – Mesmo sendo discreto e sutil foi o grande destaque do Paula Freitas em 2017. Joga um futebol objetivo, já que tem raciocínio rápido e uma visão geral do que está acontecendo em campo. Sua atuação foi essencial para que o seu time ficasse entre as quatro grandes equipes do certame. É um dos grandes atletas do atual futebol de praia carioca.






PEDRO GOMIDES – A revelação do ano. O jogador do Racing tem o futebol de praia no seu DNA, já que é sobrinho de Bruninho, o veterano atleta desse esporte. Desde criança acompanhava os jogos do tio, sempre de olho em cada detalhe do que acontecia em campo. Começou a jogar no time de aspirantes, até chegar ao time principal do Racing, onde mostrou segurança e capacidade de decidir uma partida. Já é um dos grandes nomes do futebol de praia carioca.





YURI GAERTNER – O veteraníssimo Yuri Gaertner se reinventa a cada temporada. Seu futebol malandro e irreverente foi fundamental para a arrancada do Copacabana no Carioca de 2017. Se fez presente na hora de fazer gol, soube comandar o time quando necessário e deixou claro que continua em grande forma.




RAFAEL BUENO – Foi artilheiro do Carioca de 2016 e continuou em destaque no campeonato de 2017, com seu futebol audacioso e objetivo. Ajudou a conduzir a trajetória do vice-campeão São Clemente com sua experiência e sensibilidade esportiva. Já jogou no Força e Saúde, mas surgiu no futebol de praia jogando pelo Balança.





RAFAEL BOKINHA – Foi um dos grandes nomes do Paula Freitas. Joga com frieza e perspicácia. Sabe ser dinâmico e imprescindível quando está em campo.  Tem uma postura profissional, graças ao seu currículo como atleta do beach soccer, com relevante experiência internacional. Um astro do futebol carioca,





AUGUSTO MATHEUS – O Embalo foi um dos grandes times do Carioca 2017. Jogou um futebol vigoroso, bonito de se ver. E Augusto Matheus, ou Txu, foi uma peça importante na engrenagem do time. Aproveitou bem as oportunidades, jogou para a equipe, sempre buscando o melhor resultado. Tem toque de bola, visão de jogo e obsessão pelo gol. Um talento que merece ser reconhecido.





EDUARDO NÓBREGA – O advogado bom de bola foi destaque absoluto na equipe do Força e Saúde. Fazendo uma bem entrosada parceria com Patrick Príncipe, Eduardo Nóbrega ocupou espaços, deu passes precisos e fez gols decisivos. Um grande atleta que é orgulho de todos que fazem o futebol de praia.





FELIPE CORDEIRO – Um atleta que foi criado e formado pelo time campeão, o Balança, mas que, no Carioca 2017 foi adquirido pelo Racing, onde atuou com grande competência. Felipe tem um futebol dinâmico, capcioso e objetivo. Sabe dar passes precisos e possui excelente visão do jogo. Seus chutes são vigorosos e, quase sempre, leva a bola ao caminho do gol.





RODRIGO BARBOSA – O poderoso Digão fez bonito jogando pelo Copacabana. Até a semifinal foi um dos artilheiros do campeonato, com sete gols (junto com Patrick e Bokinha). Trouxe renovação e frescor ao futebol de praia, com seu estilo impetuoso e classudo ao mesmo tempo. Uma curiosidade: foi um único jogador que fez gol contra no  Carioca 2017. Marcou inadvertidamente a favor do Embalo.





THIAGO RODRIGUES – Encarnou o espírito do Balança jogando um futebol valente e juvenil. Viveu cada partida como um grande desafio. Apresentou muita habilidade na relação com os demais integrantes de sua equipe. Estava sempre no lugar certo e soube aproveitar bem as oportunidades que surgiam ao longo do jogo. Fez um excelente campeonato.





TAUAN OLIVEIRA – Um atleta dedicado e voraz, que sabe jogar junto com o time. Mas também sabe o momento certo de fazer a jogada individual. Tem obsessão pelo gol e essa característica faz com se destaque nas partidas. Sensato e oportunista, foi fundamental para a bem sucedida participação do seu time, o Bairro Peixoto, no Carioca 2017.






LEONARDO ALVES – Carrega o espírito do futebol dentro de si. Leo Gigante, como também é conhecido, é o futebol da cabeça aos pés. Jogador inteligente, ágil e sagaz, tem uma perfeita visão de jogo e sabe o momento certo de tentar o gol. Sua facilidade de interagir com seus companheiros faz dele o cérebro do seu time, o Ronald de Carvalho.   





VICTOR TOSCANO – Uma grata surpresa. O jovem atleta do Embalo joga com arte e impetuosidade. É perspicaz na administração de cada jogada. Sabe manter o equilíbrio do jogo. E tem a exata dimensão do que o futebol significa em termos de espetáculo. Foi responsável por grandes momentos da trajetória do Embalo. Já pode ser considerado um dos grandes nomes da nova geração.





FABIO RIBEIRO – Um dos mais dignos representantes da nova geração de craques da praia. Jogador de grande habilidade no trato com a bola. Rápido, inteligente e sagaz. Com seu futebol sereno e dinâmico foi um dos responsáveis pela excelente performance do seu time, o Racing, que se manteve em primeiro lugar durante as quinze rodadas do campeonato de 2017.





MARCELLO CARVALHO – O goleiro do Bairro Peixoto soube defender seu time com bravura e personalidade. É ágil e elástico. Tem perfeita consciência de seu papel na condução do time. No Carioca de 2017 fez defesas brilhantes e soube se destacar num campeonato recheado de bons goleiros.





VINICIUS QUEIRÓZ – O goleiro do Ronald de Carvalho é um maestro que conduz seu time com segurança e sabedoria. Tem um um estilo de jogo consciente e maduro. Um atleta que sabe ocupar o seu espaço de forma correta e no tamanho certo. É um líder nato e com isso tem o respeito e a admiração de seus colegas de equipe.





DIDA – O goleiro do São Clemente foi responsável por alguns dos bons momentos do Carioca de 2017. Teve uma atuação sobrenatural no jogo contra o Paula Freitas, quando conseguiu segurar todos os chutes do magnífico ataque do time adversário. Atleta talentoso, seu grande sonho é ser goleiro de um time de beach soccer.




MELHOR  TIME 




DÍNAMO - Foi um show de bola. O Dínamo conseguiu a façanha de perder todos os jogos do campeonato. Mesmo assim, com esse resultado desfavorável, ele deu uma grande lição a todos os atletas, técnicos e dirigentes do futebol de praia. Do primeiro ao último jogo o time jogou com dignidade, competência e espírito esportivo. Em nenhum momento perdeu a esportiva. E jogou cada partida dando o melhor de si. Mesmo nos últimos jogos, quando não tinha mais a menor chance de pontuação, o time entrou em campo como se ainda tivesse chance de disputar a final. Não entregou o jogo para ninguém. Deu trabalho a todos os adversários, jogando um futebol firme e decidido, mas sem cometer faltas desnecessárias, ou se utilizar de jogadas desleais. O Dínamo jogou um futebol limpo e classudo. Foi um time responsável por grandes momentos do campeonato. E por isso merece o respeito e o aplauso de todos.




MELHOR TREINADOR:  


ALEXANDRE GOMES (Bairro Peixoto) – Treinador sensato, equilibrado, soube conduzir sua equipe com paciência e tenacidade. Um exemplo de comprometimento com as regras do campeonato.

CESINHA SEGISMUNDO (Racing) – Depois de uma brilhante carreira como goleiro, Cesinha agora se destaca como treinador. Habilidoso e perspicaz, soube montar um time instigante e vencedor que se manteve em primeiro lugar na tabela durante toda a fase classificatória.  


MELHOR JUIZ – Agnaldo Silva

PERSONALIDADE DO ANO – Chicão Carneiro